sexta-feira, 29 de maio de 2015

Doe agasalhos para a campanha do Agasalho e do Cobertor da ASSOSÍNDICOS/DF

A associação de Síndicos e Subsíndicos do Distrito Federal e Região Metropolitana – ASSOSSOSÍNDICOS/DF lançou no dia  20/05 a 2°CAC ASSOSÍNDICOS/DF que visa a arrecadação de agasalhos e cobertores para as pessoas que estão em situação de rua.

De acordo com o presidente da ASSOSÍNDICO/DF, síndico Paulo Roberto Melo, “a campanha do agasalho e do cobertor da ASSOSÍNDICOS/DF faz parte do programa ASSOSÍNDICOS CIDADÃ e vem para ajudar pessoas idosas, crianças e mulheres em situação de rua, com essa campanha os síndicos, subsíndicos, funcionários de condomínios e condôminos podem ajudar o próximo com um cobertor ou uma coberta que ele não usa mais” enfatiza o presidente da ASSOSÍNDICOS/DF Paulo Roberto Melo.


No ano passado a Campanha do Agasalho e do Cobertor da ASSOSÍNDICOS/DF, arrecadou mais de 900 peças de roupa que foi separada, distribuída para mais de trezentas famílias do Distrito Federal e Região Metropolitana.

HISTÓRIA
Ele é um idoso. Tem 62 anos de idade, mas já viveu muitas experiências de frio e enfrenta dificuldades bem sérias. O homem se chama Francisco. Ele mora nas ruas do Plano Piloto, convivendo com todo o tipo de adversidade. Uma vida cheia de muita luta, batalha e coragem. Contraindicações para um idoso, como falam as bulas de remédios. Francisco passa o dia comendo o que encontra por aqui e por ali, o que alguém dá, não tem um lugar para tomar banho e nem sabe o que é ler. Muito menos o que significa família ou um lar. Ele veste o que sobrou dos outros e à noite divide um cantinho de chão com outras pessoas como ele. Sem nenhum abrigo.

DF permanece dentro do limite da Lei de Responsabilidade Fiscal

Pelo segundo quadrimestre consecutivo, porém, unidade federativa ultrapassou limite prudencial: nos últimos 12 meses, despesa de pessoal representou 48,01% da receita


Foto: Andre Borges
O secretário de Fazenda, Leonardo Colombini, o chefe da Casa Civil, Hélio Doyle e o secretário de Gestão Administrativa e Desburocratização, Antonio Paulo Vogel

O Relatório de Gestão Fiscal do primeiro quadrimestre de 2015, que será publicado na edição de amanhã do Diário Oficial do Distrito Federal, confirma o desequilíbrio nas contas públicas. O DF ultrapassou o limite prudencial de despesas com pessoal estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal. Diante do aumento na folha com reajustes concedidos a servidores, o desafio do governo de Brasília agora é elevar a arrecadação em uma fase difícil para a economia do País.
De acordo com o relatório apresentado hoje, a despesa de pessoal alcançou 48,01% da receita corrente líquida na média dos últimos dois quadrimestres de 2014 e do primeiro quadrimestre deste ano. O limite, segundo a legislação federal, é 49%. Quando a unidade federativa chega perto disso — se excede 95% do limite, ou seja, destina 46,55% da receita corrente líquida à folha de pagamento —, atinge o chamado limite prudencial. No relatório referente ao terceiro quadrimestre de 2014, divulgado em 30 de janeiro, o percentual foi de 46,93%. Desde então, o DF está impedido de fazer contratações e conceder aumentos, entre outras ações que afetem a folha de pagamento.

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Curso de Qualificação no Recanto das Emas

Aulas são ministradas por professores renomados de entidades parceiras e abordam temas como relacionamento interpessoal, mediação de conflitos, sustentabilidade, legislação, eventos e dicas de segurança

Com o objetivo de apoiar a geração de emprego e renda nos novos condomínios da região, a Associação de Síndicos do Distrito Federal, por meio do programa Qualifica Condomínios, um espaço voltado para a promoção de cursos, encontros e palestras para trabalhadores fora do mercado de trabalho.

A associação oferece cursos gratuitos está com inscrições abertas para os cursos de agente de portaria, agente de primeiros socorros, agente de zeladoria, agente de segurança em condomínios e agente de serviços gerais.

As inscrições para os cursos de primeiros socorros, porteiros, segurança em condomínios, serviços gerais e zeladores, já podem ser feitas à partir do dia 25/05/2015 até 10/06, no site: www.assosindicos.net

domingo, 24 de maio de 2015

Vontade de ajudar o próximo é requisito principal para ser conselheiro tutelar

Inscrições para concorrer ao cargo começaram nesta semana e vão até 7 de junho; população de Brasília elegerá 200 titulares e 400 suplentes


Foto: Pedro Ventura

A responsabilidade de assumir a função de conselheiro tutelar vai além da experiência na área da criança e do adolescente. Ter vontade de ajudar o próximo é a principal característica exigida pela Secretaria de Políticas pra Crianças, Adolescentes e Juventude, que abriu na terça-feira (19) as inscrições para o processo seletivo do quadriênio 2016/2019. O prazo termina em 7 de junho.

Somente nos dois primeiros dias, mais de mil interessados se candidataram ao cargo, número que aumenta as expectativas do órgão em superar os 5.417 inscritos na última seleção, ocorrida em 2012. No pleito deste ano, que será realizado simultaneamente em todo o País em 4 de outubro, a população de Brasília elegerá 200 conselheiros e 400 suplentes.

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Pacto pela Vida chega a mais quatro regiões em caráter experimental

Reuniões debatem problemas específicos de cada local, segundo índices de criminalidade contabilizados pela Secretaria da Segurança Pública

Uma das ações básicas para que o Pacto pela Vida começasse a tomar forma em Brasília foi a divisão das regiões administrativas em 20 Áreas Integradas de Segurança Pública. Nesta semana, mais quatro delas tiveram, de forma experimental, uma agenda de reuniões — como as que serão feitas mensalmente, quando o programa for implementado oficialmente, em julho.

As novas áreas atendidas — Ceilândia; Estrutural, Setor de Indústria e Abastecimento e Setor Complementar de Indústria e Abastecimento; Planaltina; e Gama — receberão serviço semelhante ao que ocorreu em abril, em Taguatinga; Plano Piloto; Sobradinho I e II e Fercal; e Santa Maria.

Os encontros têm pauta pré-definida, contendo problemas específicos de cada região — como roubo a pedestre, furto a veículo e assalto a ônibus. Com base na pauta, os eventos reúnem representantes de órgãos ligados diretamente à segurança pública, a exemplo da Polícia Militar, do Detran e da Defesa Civil, ou indiretamente ligados, como a administração regional, a Agência de Fiscalização (Agefis) ou o Departamento de Estradas de Rodagem (DER). Dependendo das demandas, é possível convocar instituições como a Companhia Energética de Brasília (CEB).