Colégio aposta na gestão participativa para potencializar diálogos no ambiente escolar

A integração e a cooperação entre família e escola no planejamento, na organização e na ressignificação do ambiente escolar têm sido a aposta do Colégio Marista João Paulo II para o enfrentamento de adversidades como as que vieram com a pandemia da Covid-19. Desde 2019, o colégio lançou o Conselho de Pais Maristas, composto por pais de estudantes e gestores da instituição. 

Durante a pandemia da Covid-19, desafiados pela crise sanitária, os gestores do Colégio viram a necessidade de atuar ainda mais próximos das famílias com o objetivo de entender melhor a visão dos pais sobre o momento e a atuação do Colégio e remodelar de forma consultiva o modo de trabalhar neste contexto. Atualmente, o Marista João Paulo II finalizou  a fase de processo de eleição dos novos membros e fará a formação e a posse dos integrantes nos dias 20 e 23 de março, respectivamente. 


Segundo o vice-diretor educacional e coordenador do projeto estratégico, Luiz Gustavo Mendes, a gestão participativa tem proporcionado aos representantes momentos de formação, partilha, escuta e reflexão sobre assuntos referentes à educação. “É visível o impacto positivo na vida das crianças e dos adolescentes quando os pais acompanham de perto seu desenvolvimento escolar. Por esse motivo, o Colégio acredita na importância de atuar em parceria com as famílias, alinhando os objetivos para proporcionar ao estudante a tranquilidade e a segurança necessárias para a aprendizagem adequada”, afirma.


De acordo com o gestor, o diálogo e os momentos de escuta com os pais do Conselho são muito relevantes e têm possibilitado diversos insights para a gestão do Colégio. São encontros que têm trazido percepções e sugestões de melhoria significativas. 


Organização – A iniciativa começou a ser formatada em 2018, com o objetivo de potencializar o relacionamento entre família e escola. Cada turma, da Educação Infantil ao Ensino Médio, conta com a representação de dois pais conselheiros, sendo um titular e outro suplente. Ou seja, o número de representantes varia de acordo com os anos, pois depende da quantidade de turmas disponíveis. Em 2021, o Colégio contará com 116 conselheiros no total, que, após 2 anos de vigência, encerrarão a gestão em 2022. 


No primeiro ano, em 2019, os encontros do Conselho de Pais foram norteados por três eixos estruturantes, sugeridos pelos próprios membros: desenvolvimento humano e social; excelência acadêmica; e projeto de vida. A previsão inicial era de que o grupo se reunisse uma vez a cada trimestre, priorizando a participação dos titulares e, na ausência deles, a dos suplentes.


Para os conselheiros, a presença no projeto é muito positiva. É o que diz Antônio Jucá, que participou em 2019 e em 2020. “Foi uma ótima oportunidade para trocar ideias e experiências, em que o Colégio abriu esse novo canal para os pais poderem conhecer as ações e participar de algumas decisões. A gente buscava uma instituição com todas as qualidades que o Marista oferecia e, para a nossa sorte, naquele ano, o Colégio Marista João Paulo II tinha iniciado a implementação do Conselho de Pais”, disse ele, pai da estudante Alice Jucá, de 10 anos.


Pandemia – Com a pandemia, os encontros  aconteceram com mais frequência e os temas prioritários passaram a ser a aprendizagem dos estudantes com o ensino remoto; a construção do protocolo de segurança antes do retorno ao ensino presencial; e os pontos de melhoria dos processos a partir da retomada das aulas presenciais e on-line. “Antes de retornarmos com as aulas presenciais e com o Colégio todo ambientado, preparado e seguindo as orientações do protocolo, nós abrimos os ambientes escolares para os conselheiros visitarem, após 6 meses de escola fechada, e acompanharem as medidas adotadas pela instituição para receber os estudantes de forma segura e cuidadosa”, finaliza Mendes.