Mostrando postagens com marcador Cidades. Mostrar todas as postagens

 


Inaugurado em dezembro de 2020, o empreendimento leva o nome de Steak Bull Gourmet e ocupa as dependências do Let’s Brasília Hotel, no Setor Hoteleiro Norte. Diferencial do espaço é o atendimento para eventos, entre os ambientes do salão do restaurante, auditórios do hotel e salas que comportam até 100 pessoas


A famosa grife brasiliense de churrascarias Steak Bull, é adorada e aclamada na capital pelo seu serviço de excelência e alta gastronomia, com cortes de carnes exclusivos, buffet e sushi premium, além da vista panorâmica do salão para o deslumbrante Lago Paranoá. Há cinco anos em Brasília, a casa possui uma agenda bastante agitada, onde recebe diversas reuniões de negócios, eventos corporativos, aniversários e confraternizações. Pensando em como melhorar sua logística e oferecer um serviço ainda melhor, a marca lançou seu segundo empreendimento a Steak Bull Gourmet. 


A churrascaria ocupa um grande espaço nas dependências do Let’s Brasília Hotel, no Setor Hoteleiro Norte, dispondo de uma variada carta de serviços: room service, café da manhã, almoço, café da tarde e jantar, com opções entre buffet e pratos à la carte. Outro diferencial do espaço é o atendimento voltado para eventos corporativos, tendo como opção desde a realização no salão do restaurante ou nos auditórios do hotel, com salas que comportam até 100 pessoas. 


"Em nosso projeto da Steak Bull Gourmet nós priorizamos bastante para a realização de eventos tanto sociais como batizados, casamentos e lançamentos de livros, quanto corporativos como convenções e simpósios. Para isso dispomos de uma varanda com capacidade para 100 pessoas, onde ele pode fazer seu evento personalizado da forma que preferir, com música ao vivo, decoração, receptivo, entre outros", explica Patrícia Brandão, gerente geral da Steak Bull Gourmet. 


Outro grande atrativo da casa por estar nas dependências do Let's Hotel Brasília é o serviços para noivas, onde conta com vários pacotes para festa, além do casal ganhar uma noite de núpcias em uma das suítes do hotel.



Gastronomia 

Entre os cortes oferecidos estão o bife de ancho, picanha, chorizo e costela em tiras, além de um buffet completo com saladas, frutos do mar, risotos e sobremesas. Durante a semana e fim de semana a casa faz algumas ações, entre elas a quarta-feira com buffet de petiscos, música ao vivo e dose dupla de chopp durante o jantar, e a feijoada aos sábados (R$ 35,90 a vontade por pessoa). 


Administrado pelo Grupo Oliveira, a Steak Bull Gourmet conta com uma seleta carta de vinhos, com rótulos de mais de seis países e uma carta de drinks desde os mais tradicionais ao autorais. 


Serviço 

Steak Bull Gourmet 


Onde: Setor Hoteleiro Norte, Q. 5, Bl. B - Hall do Let’s Brasília Hotel 

Horário de funcionamento: diariamente, 6h às 0h; 

Para mais informações: @steakbull.goumert

 


A Fundação de Apoio à Pesquisa e Inovação do Distrito Federal (FAPDF) e a Associação de Startups e Empreendedores Digitais do Brasil (Brasil Startups) se uniram para a construção do Observatório do Ecossistema da Inovação (Inovatório), maior e mais completo mapeamento e classificação do ecossistema da inovação do DF e RIDE. 


“O Inovatório é uma ação do projeto Startup Brasília 2030 (SBSB2030), iniciativa apoiada pela FAPDF no âmbito do seu Programa de Aquecimento do Ecossistema de Inovação do Distrito Federal. Nosso intuito com a realização do Programa e o apoio a iniciativas como essa é promover o desenvolvimento inteligente e sustentável de Brasília para transformá-la em uma cidade inteligente”, ressalta Marco Antônio Costa Júnior, diretor-presidente da FAPDF. “O GDF aposta na atuação integrada entre governo, setor produtivo, academia e sociedade para transformar a capital federal em um polo produtor de inovação”, completa.


Voltado para diversos atores-chave, como startups, empreendedores, investidores, universidades, coworkings, escolas, influenciadores e prestadores de serviços especializados, o Inovatório irá suprir a falta de dados estruturados e informações atualizadas sobre o universo da inovação. A proposta é conectar empreendimentos, compartilhar dados e contribuir para a elaboração de políticas públicas mais eficientes para a região. Os interessados em participar do mapeamento deverão acessar o endereço eletrônico do Inovatório.

“Empreendedores poderão encontrar em um único lugar e de forma acessível informações e inteligência de dados para conectar e apoiar a tomada de decisão das startups. O Inovatório também vai permitir que os diversos agentes enxerguem a evolução do setor e avaliem o cenário e as tendências para que possam planejar com maior propriedade as ações que deverão potencializar cada vez mais o ambiente de inovação nos seus negócios e na região”, ressalta  o vice-presidente da Brasil Startups e coordenador de implantação do Inovatório, Wendely Leal.

Integração e conhecimento –  O Inovatório vai reunir essas informações e torná-las acessíveis, fornecendo indicadores para consultas de fins diversos; incentivar políticas públicas com bases de dados; e dar suporte a decisões estratégicas do setor público e privado. Será um hub de conteúdo atualizado em tempo real com dados, informações e aprendizados disponibilizados no portal Observatório do Ecossistema de Inovação, canal que vai contribuir para a conexão de empreendedores, possibilitando a troca de experiências, a cocriação e o fortalecimento dos negócios inovadores e startups na região, o diálogo entre os participantes e a construção de um ambiente favorável à inovação. 

A partir disso, será possível atrair novos investidores e parceiros, além de auxiliar o poder público e privado no processo de criação de políticas públicas e na tomada de decisões estratégicas que favoreçam o crescimento e a prospecção das startups na região. “Acreditamos que as startups são atores essenciais para esse processo de transformação, com potencial para gerar soluções para a cidade, oportunidades e ativos econômicos”, destaca o diretor-presidente da FAPDF.

Como participar – Para participar do mapeamento, basta se cadastrar em um ou mais formulários que estão disponíveis no endereço eletrônico do Inovatório: http://inovatorio.org/mapeamento. Caso queira apenas consultar dados, acesse: inovatório.org.

“Ao contribuir  com o mapeamento, os participantes serão beneficiados com dados que irão possibilitar uma maior compreensão sobre as características do ecossistema de startups e poderão sair do campo das suposições na hora de planejar ações futuras”, afirma o coordenador de marketing na Brasil Startups, Daniel Chacal. “Nós vamos trazer informações gerais sobre o perfil  da startup e dos colaboradores, indicadores de aquecimento, impacto da Covid-19, entre outros”, completa.

A proposta está comprometida com a proteção total dos dados dos participantes, a partir do cumprimento da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), que dispõe sobre o tratamento desses dados, inclusive nos meios digitais.

 


Com a iniciativa, a Estácio vai engajar seus alunos em prol de ações ambientais e socioeconômicas sustentáveis, com lives, palestras e debates abertos para toda comunidade 

 

Sustentabilidade em foco! Até o dia 1 de outubro a Estácio promove a 9ª Semana de Sustentabilidade e Responsabilidade Social. Este momento é ideal para promover ações relacionadas às três dimensões sustentáveis: ambiental, econômica e social. Neste ano, ainda por conta da pandemia da Covid-19, todas as iniciativas estão sendo estimuladas pelos organizadores para acontecerem por meio da internet, como palestras e debates on-line e lives, entre 9h e 18h. O evento gratuito será aberto a todos os alunos e ao público externo. Confira a programação nos sites dos respectivos campi da Estácio. As unidades que cadastrarem suas atividades no portal da ABMES (Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior) irão receber o selo de Instituição Socialmente Responsável.    

 

“O objetivo da Estácio ao promover essa iniciativa é despertar o interesse de nossos alunos e colaboradores para causas sustentáveis. Enquanto instituição de ensino superior temos a missão de educar além do que tange à formação acadêmica, engajando o aluno em ações que impactem a sociedade, nas mais diversas atmosferas: do meio ambiente ao socioeconômico, contribuindo de forma consciente para um futuro melhor", destaca Claudia Romano, vice-presidente de Relações Governamentais, Comunicação e Sustentabilidade da Estácio.

 

O termo “mudanças climáticas” se refere às mudanças de longo prazo que vem sendo observadas e projetadas em diversas variáveis climáticas, tais como padrões de precipitação, temperatura e vento. Essas mudanças decorrem tanto de fatores antropogênicos (isto é, causados pelo Homem) quanto por fatores naturais e ocasionam uma ampla variedade de efeitos em diversos aspectos dos sistemas geofísicos, naturais e humanos. O Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC), órgão das Nações Unidas responsável por produzir informações científicas, afirma que há 90% de certeza que o aumento de temperatura na Terra está sendo causado pela ação do homem.  

 

Confira a programação do campus Estácio Brasília 

 

terça-feira (28), às 19h 

Desenvolvimento com práticas acessíveis 

 

quarta-feira (29), às 9h 

Avanços e desafios em sustentabilidade no Distrito Federal 

 

quinta-feira (30), às 18h30 

Papel da responsabilidade socioambiental de uma empresa 

 

Oficina presencial - Os caminhos das comidas: pensando e construindo os circuitos alimentares 

 

sexta-feira (1), 18h30 

Mudanças global do clima: na interface entre ciência, gestão e política 

 

19h30

Empreendedorismo e marketing no desenvolvimento sustentável; 

 

Serviço:   

Evento - 9ª Semana de Sustentabilidade e Responsabilidade Social  

Data - De 27 de setembro a 1º de outubro  

Horário - entre 9h e 19h30  

Doações devem ser entregues no Colégio Marista Asa Norte (SGAN 702 Conjunto B, Asa Norte), até sexta (24)

Uma entre cada quatro meninas brasileiras deixa de ir à escola durante o período menstrual por simples falta de acesso a um absorvente, constatou um levantamento da ONU sobre  pobreza menstrual divulgado em maio deste ano. A média no Brasil é bem maior que a mundial, que é de uma em cada 10 segundo o relatório.

E se estudantes de escolas particulares ajudassem outras alunas, menos favorecidas, a seguir frequentando as salas de aula durante aquela “incômoda” semana mensal? Foi o que decidiu um grupo de estudantes do Voluntariado Marista, quando criou campanha de arrecadação de kits higiênicos para distribuir a meninas e mulheres em situação de vulnerabilidade social, batizada de Projeto Ciclos.

A ideia é combater não só a ausência justificada ao colégio de estudantes pobres durante seus dias de fluxo, mas também os impactos negativos que a falta de acesso aos itens de higiene feminina causa: por recorrerem a materiais inapropriados para conter o sangramento – como jornal, pão velho, folhas de árvores, pedaços de pano -, essas meninas e mulheres ficam sujeitas a alergias e irritações da pele e mucosas, infecções urogenitais como a cistite e a candidíase, e até uma condição conhecida como Síndrome do Choque Tóxico, que pode levar à morte. Tudo isso somado ao dano emocional provocado pela pobreza menstrual.

“Os produtos de higiene feminina são essenciais todos os meses durante anos na vida de uma mulher - mas, mesmo assim, muitas nunca tiveram acesso a um absorvente e precisam lidar com seu ciclo menstrual da forma que conseguirem”, afirma Júlia Persegona, estudante do 3º ano do ensino médio.

“O Projeto Ciclos abriu meus olhos para a situação de pobreza menstrual e me fez perceber que algo tão básico na minha vida é um privilégio, mesmo que não devesse ser. Assim, espero que as nossas arrecadações, consigam ajudar quem precisa lidar com a pobreza menstrual a cada ciclo e trazer mais visibilidade para esse problema”, enfatiza a estudante.

São bem-vindos os absorventes preferencialmente com abas e os lenços umedecidos. Protetores de calcinha tipo care free, absorventes internos e noturnos não serão arrecadados.

Os estudantes voluntários montarão um kit com os absorventes, lenços umedecidos mais panfleto informativo com informações básicas de higiene menstrual e os entregarão para o Instituto Vem Vencer, a cargo da distribuição para as famílias vulneráveis.

Para a vice-diretora pedagógica do Colégio, Luciana Winck, a iniciativa destaca o protagonismo dos estudantes do Colégio. “A campanha e a entrega dos kits não têm caráter apenas assistencial, mas educativo. Isso demonstra a empatia e o olhar sobre a existência do ser humano e suas condições, isso faz parte dos valores trabalhados pelo Colégio e que refletem nas ações dos nossos estudantes”, disse.

Saúde pública e direitos humanos – Desde 2014, a Organização das Nações Unidas (ONU) considera o acesso à higiene menstrual um direito que precisa ser tratado como uma questão de saúde pública e de direitos humanos.

No relatório divulgado em maio, a organização alerta para o fato de que a pobreza menstrual “pode causar desconfortos, insegurança e estresse, contribuindo assim para aumentar a discriminação que meninas e mulheres sofrem. Põe em xeque o bem-estar, desenvolvimento e oportunidades para as meninas, já que elas temem vazamentos, dormem mal, perdem atividades de lazer, deixam de realizar atividades físicas; sofrem ainda com a diminuição da concentração e da produtividade”.

Segundo a Pesquisa Nacional de Saúde de 2013, do IBGE, a média de idade da primeira menstruação nas mulheres brasileiras é de 13 anos, sendo que quase 90% delas têm essa primeira experiência entre 11 e 15 anos de idade. Assim, a maioria absoluta das meninas passará boa parte de sua vida escolar menstruando.

Com isso, perdem, em média, até 45 dias de aula, por ano letivo, como revela o levantamento “Impacto da Pobreza Menstrual no Brasil”, encomendado por uma marca de absorvente e feito pela consultoria Toluna. O ato biológico de menstruar acaba por virar mais um fator de desigualdade de oportunidades entre os gêneros, conforme enfatizou uma reportagem especial elaborada pela pela Agência Senado.

Voluntariado Marista – O projeto conta com a participação de estudantes dos Anos Finais e do Ensino Médio do Colégio Marista Asa Norte. O Voluntariado busca despertar um olhar mais atento, cuidadoso e generoso sobre as realidades menos favorecidas, com a participação ativa dos estudantes em ações para a vivência da solidariedade.




Nesta quinta-feira (16), a Confederação Nacional de Notários e Registradores – CNR promoverá a estreia do programa "Cartório Contemporâneo" na TV Justiça. O programa será transmitido com um episódio inédito todas as quintas-feiras, às 19h, com uma reprise nas segundas-feiras, às 19h



Na ocasião, notários, registradores, juristas, além de outras autoridades importantes levarão informações, esclarecimentos e educação sobre a atividade notarial e de registro para a população brasileira como um todo. Temas como o avanço tecnológico dos Cartórios, o que é apostilamento, a diferença entre escritura e registro de Imóvel ou mesmo o que faz cada especialidade de Cartório estarão entre os assuntos abordados pelo Programa.

Para o presidente da CNR, Rogério Portugal Bacellar, o Programa "Cartório Contemporâneo" veio para diminuir a distância entre a população brasileira e os Cartórios. O objetivo da CNR com o lançamento do Programa será promover a importância dos Cartórios e que sua atuação é indispensável para garantir a segurança dos negócios jurídicos, mas especialmente para o crescimento e desenvolvimento do nosso país. O serviço notarial e registral é de excelência, afirmou Bacellar.

Apresentado por Duda Meirelles, dirigido por Ana P. Araújo e produzido pela Cia do Filme, o programa semanal revela o fascinante mundo da atividade notarial e registral no Brasil e é um animado passeio pelo universo dos Cartórios que visa informar e educar a população de forma lúdica, com convidados e infográficos.

Para saber mais sobre o Programa Cartório Contemporâneo, acesse o site www.tvjustica.jus.br , www.cnr.org.br ou entre em contato pelo e-mail contato@cnr.org.br. Confira o canal aqui.

Não perca!

Exibição inédita: 16/09, às 19h

Reapresentação: 20/09, às 19h 

Nos acompanhe também pelo Facebook e Instagram para sempre ter acesso às novidades da CNR.

        

Programa de Aprendizagem desenvolvido pelo Centro de Integração Empresa-Escola do Paraná - CIEE/PR, contempla os objetivos da Lei n.º 10.097/2000
Créditos: divulgação


Ex-aprendiz de Recursos Humanos, Victor Henrique Zamaro, atua como recrutador de aprendizes na empresa em que trabalha
Créditos: divulgação



Iniciativa auxilia na inserção de estudantes no mundo do trabalho e empresas no cumprimento das cotas obrigatórias para contratação de aprendizes

Criado para facilitar a entrada de adolescentes, jovens e novos profissionais no mundo do trabalho, o Programa de Aprendizagem desenvolvido pelo Centro de Integração Empresa-Escola do Paraná - CIEE/PR, beneficiou, nos últimos 15 anos, 24,5 mil jovens em todo estado. A iniciativa contempla os objetivos da Lei n.º 10.097/2000 e auxilia as empresas no cumprimento das cotas obrigatórias para contratação de aprendizes, estabelecida entre 5% e 15% em relação ao total de funcionários do estabelecimento. 

De acordo com a gerente da Divisão de Capacitação e Cidadania do CIEE/PR, Simone Paulin, além da questão legal, o programa promove uma formação ampla para o estudante. “A iniciativa garante preparação, apoio e formação para o mundo do trabalho porque alia a capacitação teórica à prática e ao atendimento multidisciplinar. Também assegura a permanência do adolescente e do jovem na escola, uma vez que a frequência nas aulas é obrigatória para a continuação no programa de aprendizagem”, afirma.

Diferentes áreas

O programa desenvolvido em todo o estado do Paraná oferta cursos nas áreas de Serviços Administrativos, Produção Industrial; Comércio e Varejo; Varejo e Supermercado e Telesserviços/Telemarketing e é destinado a jovens estudantes com idades entre 14 e 24 anos — ou pessoas com deficiência (PCD) de qualquer faixa etária — que estejam cursando os últimos anos do Ensino Fundamental, Médio ou Superior de instituição pública ou bolsista de instituição privada e atende prioritariamente, mas não exclusivamente, adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social. 

Segundo a gerente, quando um adolescente em situação de vulnerabilidade ingressa no Programa de Aprendizagem, ele ganha uma nova perspectiva. “A aprendizagem transforma vidas: do aprendiz, da família e da comunidade. Ao longo desses anos, muitos participantes do programa, que eram socialmente invisíveis, se tornaram pessoas conscientes dos direitos e conseguiram buscar os sonhos, o que, sem a aprendizagem, na maioria dos casos, seria muito difícil”, explica. 

O morador de Toledo, Oeste do Paraná, e ex-aprendiz de Recursos Humanos, Victor Henrique Zamaro, atualmente atua como recrutador de aprendizes na empresa em que trabalha, e reforça como o programa ajudou a garantir boas oportunidades. “Tive diversos aprendizados que, juntamente com a capacitação teórica, me proporcionaram uma visão diferenciada sobre oportunidades e vida profissional”, declara.

De acordo com a gerente do CIEE/PR, atualmente a entidade registra 4,8 mil aprendizes, número que representa quase um quinto do total consolidado nos últimos 15 anos de atuação. "Nesse período, participamos da transformação de vida de milhares de jovens. Por isso a importância de comemorarmos essa data de forma muito festiva", finaliza Simone.

 

Sobre o CIEE/PR

Há mais de 53 anos, o Centro de Integração Empresa-Escola do Paraná (CIEE/PR) atua para promover a integração dos jovens ao mercado de trabalho. Por meio de programas de estágios e aprendizagem, cursos de capacitação e cidadania e programas sociais, a instituição contribui para o desenvolvimento econômico e social do Estado. Com 37 unidades operacionais distribuídas em todas as regiões do Paraná, o CIEE/PR tem uma média mensal de 22,5 mil estagiários e 4,5 mil aprendizes, e já recebeu cerca de 30 títulos de Utilidade Pública. Está registrado nos Conselhos Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente em mais de 112 municípios e tem como um de seus propósitos trabalhar para fortalecer o desenvolvimento humano e social.


 Além do que é falado, algumas atitudes podem influenciar na hora da contratação

 

Pexels


A pandemia do corona vírus foi responsável por diversas e gigantescas mudanças no mundo todo. Uma delas se refere ao mercado de trabalho. Isso porque, ao buscar manter a saúde de todos em segurança e ainda assim continuar com as relações trabalhistas, foram necessárias algumas mudanças, como as entrevistas, que passaram a ser on-line. Com esse novo formato, surgem algumas dúvidas: como se portar nessas ocasiões?

A gestora de carreira e especialista em RH, Madalena Feliciano, responde à essa pergunta: “Nesse modelo de entrevistas, algumas atitudes ficam bastante acentuadas, principalmente no que se refere à linguagem não-verbal”. Assim, além de cuidar do roteiro de fala, é importante também cuidar da postura e modo de agir como um todo.

“Alguns comportamentos, como gesticular demais com as mãos e mexer o corpo com muita frequência podem impactar o resultado da entrevista”, alerta a gestora. Isso porque essas atitudes podem dizer muito sobre nós. No geral, uma pessoa que não consegue ficar parada por alguns minutos é uma pessoa muito ansiosa e inquieta.

Além da postura, é importante ficar atento às expressões faciais das emoções. “Sorrir o tempo todo, mostrar raiva, decepção e outros sentimentos com muita intensidade pode também diminuir as chances do recrutador te contratar”, explica Madalena. Assim, sempre preste atenção no que você irá transmitir com aquela expressão.

Ademais aos cuidados com a aparência e as próprias atitudes, é essencial também que a entrevista seja realizada em um ambiente favorável. Dessa forma, procurar um lugar silencioso, com uma iluminação boa e com um fundo de pouca interferência é indispensável para uma entrevista de sucesso. O quarto, o escritório ou até mesmo a sala, caso não haja ninguém para interferir no processo, podem ser bons locais, desde que tenham um apoio para o celular ou computador.

Por estar no formato remoto, muitos candidatos acreditam ser mais fácil camuflar algumas atitudes. No entanto, os recrutadores continuam em alerta tanto quanto estavam no modelo presencial.

Por último, a gestora afirma que manter a calma é essencial. “Lembrar que as suas expressões corporais dizem muito sobre você é um pensamento que não deve ser ignorado. Por isso, controle as suas expressões, utilize uma roupa adequada e mantenha um diálogo claro e aberto, porque essas são atitudes que podem te garantir ou não a vaga”.

Madalena Feliciano

Gestora de Carreira                                                                                         

(11) 2737-1685 e 9 47706543

madalena@ipcoaching.com.br

www.ipcoaching.com.br

www.outlierscareers.com.br

https://www.instagram.com/madalenafeliciano/

https://www.facebook.com/madalena.feliciano1

https://www.linkedin.com/in/madalenafeliciano/

Rua Engenheiro Ranulfo Pinheiro Lima, nº 118, Ipiranga/SP

 Confira algumas perguntas e respostas sobre esse agente 

 


Apesar de ser mais comum comente o uso de pasta de dentes e fio dental, quando o assunto é saúde bucal, existem dezenas de produtos que ajudam no cuidado com os dentes. O Pó dental é um deles. Como uma alternativa que substitui a pasta de dentes ou gel dental, o pó tem a função de proporcionar um sabor agradável após a higienização e ajudar na eliminação do excesso de bactérias bucais em todo o processo de escovação.

Para conhecer mais sobre esse produto, a vice-presidente da Associação Brasileira de Halitose, Dra. Cláudia Gobor, reuniu algumas perguntas e respostas sobre o tema. 

Quais elementos o pó dental deve ter para proteger a saúde bucal? 

“Ele deve ter componentes bioativos e bactericidas para uma melhor ação”, afirma a cirurgiã-dentista. A profissional conta que também devemos lembrar que a proteção da saúde bucal deve ser feita com uma higienização correta, o que inclui escovação ideal, seja ela com o pó dental ou com outro veículo, uso do fio dental e se for o caso, enxaguante. 

Ele funciona? É melhor que a pasta dental?

“Funciona sim, bem como todo veículo usado para escovação. Não existe uma afirmação de que seja melhor ou pior que a pasta dental. É apenas mais uma opção de um veículo para que se faça uma correta escovação dos dentes”, responde.

Quais são as diferenças em relação a pasta além da textura? 

As pastas de dentes muitas vezes contêm conservantes e agentes espumantes que em alguns casos podem ser prejudiciais à saúde bucal, e esses fatores estão ausentes na composição do pó, o que pode ser uma vantagem. “Mas também temos que ter extremo cuidado porque na maioria dos pós existem partículas abrasivas que podem, ao longo do tempo de uso, riscar o esmalte, prejudicando a integridade da superfície e acarretando danos”, explica a especialista. 

Quais os tipos de pó dental?

“Existem muitos tipos hoje a venda, com sabores como de especiarias ou refrescantes e também com indicações, por exemplo - para adultos, crianças e para clareamento (o que deve ser bem observado e cuidado para que não ocorra danos a superfície dental)”, alerta Cláudia Gobor.

Ele substitui a pasta?

“Pode substituir sim, desde que a escovação dentária seja feita corretamente”, responde a dentista.

Há algum risco?

Cláudia afirma que alguns pós dentais têm em sua composição partículas abrasivas, que podem ocasionar riscamento da superfície dentária e também sensibilidade.

Serviço: Cláudia Christianne Gobor
Profissão: Cirurgiã-dentista, especialista no Tratamento de Halitose desde 2005, conselheira da Associação Brasileira de Halitose
41 – 3022 – 3131
halitosecuritiba@gmail.com
www.abha.org.br
@Halitose Curitiba
Rua Da Paz, 195,s Sala 524 MAB Centro Médico, Curitiba - PR

 



Em Valparaíso, o governador Ronaldo Caiado entrega 474 moradias: "São R$ 7,1 milhões que o Estado arrecadou em forma de imposto, que nós estamos transferindo para todas as famílias que são proprietárias aqui" 


Foto: Hegon Corrêa

O governador Ronaldo Caiado entregou, nesta segunda-feira (13/09), 474 moradias em Valparaíso de Goiás, no Entorno do Distrito Federal. Construídos em parceria do Governo de Goiás, por meio da Agência Goiana de Habitação (Agehab), com o governo federal, os apartamentos estão distribuídos em quatro residenciais: Golden Park VII (60 unidades habitacionais), Golden Park IX (60), Monte Sião VII (114) e Mabel V (240).

Ao todo, foram investidos R$ 47 milhões, sendo mais de R$ 7 milhões de recursos estaduais. Na oportunidade, foram entregues 1.367 Chromebooks aos alunos da 3ª série do Ensino Médio matriculados nas unidades da rede estadual.

Para a construção das unidades, houve contrapartida estadual de R$ 15 mil por unidade habitacional para as famílias habilitadas no programa do Governo de Goiás de moradia, com renda de até três salários mínimos. O valor ajuda a viabilizar o financiamento do imóvel pelos beneficiários junto à Caixa Econômica Federal (CEF), de forma que cobre ou reduz o valor da entrada, assim como abaixa a quantia que deverá ser paga nas prestações.

O financiamento é feito em até 360 meses, com valor médio da parcela de R$ 480. Cada moradia do residencial conta com 44,77 m² na unidade padrão e 47 m² no apartamento térreo. Os empreendimentos possuem vaga de garagem, acesso social com guarita e playground.

"Se não fosse a contrapartida do Governo de Goiás, dificilmente, a pessoa que está adquirindo a casa teria como adquiri-la. Isso inviabiliza a condição de pagar as parcelas e, como tal, não teria direito à casa própria", ressaltou Caiado. Para ele, a entrega das moradias reverte a tributação estadual para o cidadão e promove justiça social. "São R$ 7,1 milhões que o Estado arrecadou em forma de imposto, que nós estamos transferindo para todas as famílias que são proprietárias aqui", frisou.

O governador Ronaldo Caiado ainda detalhou a maneira como a política habitacional tem sido executada de forma a atender estrategicamente cada parcela da população. "Nas regiões onde as pessoas fazem o convênio com a Caixa Econômica, nós damos a contrapartida de R$ 15 mil a R$ 20 mil em cada casa ou apartamento. Em localidades mais vulneráveis, construímos e entregamos casas de graça", explicou.

Caiado também lembrou de ações para revitalizar casas "totalmente inviabilizadas" e sem estrutura completa. "Estamos reformando para dar dignidade às pessoas que lá habitam. Essa é uma política social muito forte do governo", acrescentou.

O presidente interino da Agehab, Luiz Sampaio, destacou que as obras estão sendo entregues "graças à união de forças" em várias instâncias da administração pública e enalteceu a liderança de Caiado neste processo. "Essa é a determinação do nosso governador: que seja levada dignidade, por meio da moradia, às famílias que sonham em ter sua casa própria construída ou reformada. É isso que o governo está levando: qualidade de vida aos quatro cantos do Estado", defendeu.

Para o vice-governador, Lincoln Tejota, a entrega demonstra que as políticas públicas podem transformar a vida da população. "Estamos de fato cumprindo a função do Estado.  Hoje é um dia de celebração, porque estamos vindo aqui devolver o imposto que elas [famílias] pagam, por meio do benefício", reforçou ao citar a entrega de moradias que também ocorrem a custo zero em outras linhas de atuação da administração estadual, como no Programa Goiás Social.

O prefeito de Valparaíso de Goiás, Pábio Mossoró, celebrou a entrega das unidades habitacionais e reconheceu que Caiado chega aos municípios "com trabalho prestado, seriedade e responsabilidade". "É motivo de muita satisfação entregar essas moradias. As pessoas aqui têm raízes. Nós, governo do Estado, do município e federal, temos que achar uma alternativa para poder fixar essas moradias", assinalou.

Mais moradias para o Entorno
Por determinação do governador Ronaldo Caiado, a Agehab intensificou os investimentos na região do Entorno do DF com objetivo de colocar um ponto final no histórico de abandono vivenciado nas gestões passadas. A região contava com um dos maiores déficits habitacionais do Estado, sem o investimento proporcional à demanda.

Até o momento, o Governo de Goiás já entregou 1.224 moradias em Valparaíso. Em toda a região do Entorno do Distrito Federal, foram construídas e distribuídas 2.423 unidades habitacionais, sob investimento de R$ 216 milhões, sendo R$ 35 milhões do Governo de Goiás.

Inovação e avanços
Por meio da Agehab, o Estado também beneficiou mais de 5 mil famílias, desde 2019, com a entrega de 5.257 unidades habitacionais distribuídas em 17 municípios: Goiânia, Valparaíso de Goiás, Anápolis, Bonfinópolis, Guarinos, Luziânia, Cidade Ocidental, Porangatu, Nova Veneza, Barro Alto, Planaltina, Mozarlândia, Santo Antônio de Goiás, Córrego do Ouro, Senador Canedo, Morrinhos e Campo Alegre.

O investimento total para construção das moradias entregues foi de R$ 426 milhões, resultado de parcerias firmadas pelo Estado com o governo federal, os municípios e as entidades. O investimento estadual foi no valor de R$ 74,9 milhões.

Outras 7.699 moradias estão em andamento em parceria com o governo federal e os municípios, ultrapassando R$ 900 milhões de investimento com recursos estaduais, federais e municipais.

E mais 4.450 iniciadas a partir deste mês, do Programa Goiás Social, com recursos exclusivamente do Governo de Goiás, provenientes do Fundo de Proteção Social do Estado (Protege) e, em parceria direta com os municípios que doaram terrenos regularizados e urbanizados. Estas casas serão doadas a custo zero para as famílias mais vulneráveis. Os investimentos são da ordem de R$ 395 milhões.  

Também com o Goiás Social, serão reformadas em todo o Estado 4.550 unidades habitacionais, com investimento de R$ 96,1 milhões. Este novo programa de reforma é modelo para o País, com a contratação de empresas pela Agehab para execução de toda a obra com valores unitários que variam de R$ 18 mil a R$ 25 mil, conforme o estado de precariedade da moradia.

O total em recursos destinados às obras de construção e reforma de moradias entregues, em andamento e iniciadas, os investimentos em moradia da gestão atingem a marca de R$ 1,386 bilhão.

Ainda foram entregues pela gestão de Ronaldo Caiado quase 3 mil escrituras e outras 4,5 mil estão em andamento. Pelo Fundo Protege, foram disponibilizados R$ 15 milhões para avançar com o programa de regularização fundiária urbana para as 10 regiões de planejamento do Estado.

Beneficiário em Valparaíso de Goiás, Marcos Oliveira, destacou o diferencial de ter sido contemplado no programa habitacional. "Eu já trabalhei na área e sei muito bem que existem pessoas que não conseguem. Com esse benefício, facilita bastante", avaliou. "Todos ficam felizes por ter uma moradia digna e dar uma estrutura melhor para família. Nos dias de hoje, segurança é fundamental", afirmou ao mencionar que, com as chaves da moradia em mãos, a mudança será na próxima semana.

Tecnologia na Educação
A entrega de 1.367 Chromebooks aos alunos da rede estadual em Valparaíso de Goiás dá prosseguimento à iniciativa que vai contemplar 60 mil estudantes em todo o Estado. "Hoje, todos os alunos da terceira série do ensino médio estão recebendo uma ferramenta da Google. É o que tem de mais sofisticado", enalteceu Caiado.

A medida resulta de um empenho na ordem de R$ 144 milhões de recursos orçamentários estaduais. "Estamos dando às nossas crianças ferramentas necessárias para poderem ter um bom resultado, ao mesmo tempo, poderem ter acesso às faculdades e aos cursos profissionalizantes que desejarem", pontuou o governador. "É o que tem de mais moderno, de melhor qualidade, para que a escola pública seja referência", concluiu.



Saúde
Ao entregar nesta segunda-feira (13), mais 474 apartamentos em Valparaíso de Goiás, totalizando 1.224 moradias para famílias de baixa renda, o governador Ronaldo Caiado (DEM) disse que o seu próximo desafio é construir um hospital para atendimento à população da cidade. Caiado destacou que a construção de moradias para quem precisa é uma política social muito forte do seu governo por todo o estado, em especial  nos municípios que compõem a região do Entorno. 

Além de construir as novas moradias, o governo Caiado deu uma contrapartida no valor de R$15 mil para que as famílias beneficiadas com a casa própria, possa pagar a entrada exigida pela Caixa Econômica. Mais de 900 pessoas irão morar nas unidades no novo Residencial Mabel localizado no bairro Céu Azul. "Se não fosse essa contrapartida, dada pelo nosso governo, dificilmente a família beneficiada  teria condições de possuir o seu imóvel". Outro alicerce da área social que avança no Entorno, segundo o governador, é o atendimento à saúde. 

"Quando eu recebi o governo, as populações da maioria de seus municípios dependiam das UTIs públicas de apenas três cidades: Goiânia, Anápolis e Aparecida de Goiânia. Cabiam às três cidades atender mais de 7 milhões de goianos. Os outros 243 municípios  só recebiam ambulâncias que peregrinavam em busca de vagas nos poucos hospitais", disse. "Nós mudamos essa situação  catastrófica. Só em Luziânia, aqui no Entorno,  o nosso governo  disponibilizou 50 leitos de UTIs funcionando, cujo custo unitário sai, em média, a R$1.600 por dia. Em Formosa colocamos 10 leitos de UTIs. Em todo o Estado só havia 254 leitos. Em três anos do meu governo elevamos para mais de 959 leitos de UTIs". O governador anunciou que o vice-governador do DF, Paulo Octávio, lhe ofereceu a planta gratuita do hospital de Valparaíso. "Peço agora o apoio dos nossos deputados estaduais e federais na busca dos recursos para que possamos ir para mais um enfrentamento que é o de construir um hospital de Valparaíso, um sonho antigo de toda a população", afirmou Caiado.

São três dias de aulas práticas. Estão abertas inscrições para últimas vagas.


A fim de ajudar pessoas a buscarem mais qualidade de vida por meio da alimentação saudável, o nutricionista Ricardo Vargas criou o curso Menu Vegano, que oferece aulas práticas e gratuitas sobre o preparo de alimentos saudáveis e sustentáveis à base de plantas. "O que pretendemos com o Menu Vegano é lançar um desafio para que as pessoas possam experimentar em trinta dias os benefícios de uma alimentação baseada em plantas", observa o especialista.
 
Vargas complementa que nos três dias de aulas práticas e gratuitas será possível aproveitar o máximo dos benefícios que a dieta à base de planta pode trazer. "Quem aceitar o desafio vai comprovar, na prática, os benefícios. Eu sugiro fazer exames bioquímicos antes de iniciar os 30 dias e refazê-los no final da jornada. Exames básicos, como glicose, insulina, triglicerídeos, colesterol total e frações, TGO e TGP, ureia e creatinina. Tive milhares de pacientes que tiveram suas vidas transformadas e quero ajudar o máximo possível de pessoas a obterem melhor qualidade de vida", garante o nutricionista.
 
As aulas gratuitas do curso Menu Vegano serão ministradas nos dias 13, 14 e 15 de setembro, às 20h. Para ter acesso, cadastre-se neste link: doutorvargas.com.br/transformacaovital/inscricao-menu-vegano/


Especialista em alimentação funcional e gestão emocional, o nutricionista Ricardo Vargas viaja o mundo para ministrar palestras sobre alimentação saudável e os benefícios da dieta sem carne para o ser humano.  Ao lado da esposa Neth Rocha, também especialista em cozinha vegana, Vargas promove o bem-estar emocional e físico por meio da alimentação equilibrada e hábitos saudáveis.

                                       

  •  Ariane Minetto Araújo
  • Crédito: divulgação


  •  Pedro Krassuski Fonseca
  • Crédito: divulgação

Jovens se veem impotentes diante da política, revela pesquisa

Nas últimas eleições, a quantidade de eleitores de 16 e 17 anos que compareceram às urnas foi a menor em 30 anos. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral, menos de 5% dos jovens dessa idade votaram nas eleições de 2020 - uma queda de mais de 50% se comparado a 2016. Essa falta de interesse dos adolescentes pela política foi tema de um estudo científico da estudante Ariane Minetto Araújo, do nono ano do Colégio Positivo - Internacional, de Curitiba, apresentado na Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace) da Universidade de São Paulo (USP) - maior evento nacional do setor, que revela jovens cientistas desde 2003.

A pesquisa, realizada com 344 pessoas, mostra que há um padrão de desinformação ou carência de opinião formada, demonstrando uma importante lacuna no processo de politização. O estudo revelou que muitos jovens acreditam que são impotentes, que sua participação, principalmente o voto, não tem influência alguma na realidade sociopolítica de um país, portanto, acabam se distanciando da política. “Muitos também acreditam que as regras/leis que foram feitas para conduzir e limitar as ações políticas foram e são tão manipuladas e ignoradas que eles não acreditam que haja uma forma de acabar com essas infrações”, destaca Ariane. O problema, segundo o estudo, é que essa aversão ou descaso resultam em ausência no cenário político, de modo que a indiferença ou a neutralidade acabam por legitimar todas as decisões tomadas no cenário político.

Ainda de acordo com a análise, o resultado, e causa desse desinteresse dos jovens pela política, é a ignorância. “Se falarmos, por exemplo, da Reforma da Previdência aprovada recentemente no Congresso Nacional, quantos jovens sabem que essa reforma irá, principalmente, afetar a eles próprios? Quantos têm um conhecimento básico sobre esse tema, que é de grande importância para suas vidas profissionais e o seu futuro?”, questiona a pesquisadora. “Essa ignorância resulta em decisões que não tiveram a participação daqueles que serão efetivamente afetados. Tanto que essa reforma foi decidida e aprovada num Congresso em que 1% dos parlamentares são jovens, portanto, quantos jovens estavam lá, decidindo o futuro deles mesmos? Essa ignorância permite que nós sejamos regidos por leis e decisões que não foram formadas, nem tomadas, com a nossa participação”, alerta a estudante.

Para o assessor de História do Colégio Positivo e especialista em História do Brasil, André Marcos Silva, a juventude não se interessa pela política em virtude de não perceber mudanças rápidas e tangíveis. “É tudo muito demorado e burocrático e sabemos que os jovens dessa geração querem tudo rápido, com agilidade, porque tudo acontece instantaneamente para eles”, constata.

De acordo com o professor, a escola e os pais são agentes indispensáveis para o interesse dos jovens pela política. “Precisamos fornecer ferramentas para que eles possam olhar, criticar e analisar partidos, pessoas e ideias. É aí que vemos a importância de disciplinas como História, Filosofia e Sociologia. Os pais possuem um papel essencial nisso, incentivando essas crianças e adolescentes a lerem. Quanto mais leitura e informação tiverem, melhor. Clássicos como Rousseau, Maquiavel, Hobbes dão condições de pensar em nossa sociedade”, sugere.

Gosto pela política pode ser despertado na escola

Segundo a BNCC, uma das orientações para contextualizar as práticas de linguagem no Ensino Médio em Língua Portuguesa, é que se trabalhe a formulação de projetos de lei coletivos, baseando-se na discussão do Estatuto da Juventude, bem como a análise de campanhas, programas políticos, e de políticas públicas. "Mas para um jovem chegar ao Ensino Médio com essa habilidade e conhecimento, é imprescindível que ele esteja inserido nesses tipos de discussões desde o Ensino Fundamental", destaca Ariane.

Ela conta que o gosto pela política surgiu em casa, quando, por volta de 8 anos de idade, passou a participar dos debates entre seus pais e seu irmão - quatro anos mais velho. "Eles sempre debatiam os processos que tornaram o Brasil o que ele é hoje, assim como discutiam as vantagens e desvantagens dos diferentes tipos de governo existentes no mundo. E eu, apesar de não compreender muitos dos assuntos sobre os quais eles discutiam, sempre estava perguntando o que aquilo queria dizer ou se determinado tema tinha relação com o que eu também estudava", conta.

Na mesma escola que Ariane, estuda Pedro Krassuski Fonseca. Ele conta que sempre teve vontade de participar de forma ativa da sociedade e na solução de seus problemas, mas confessa que isso não é comum entre seus colegas. "Não existe na Educação brasileira uma formação básica sobre sermos parte do Brasil. Não é criado entre nós nem um senso de pertencimento, responsabilidade ou identificação. O que acaba gerando cada vez mais jovens engajados em seus desejos individuais, e sem nenhuma forma de consciência social", lamenta.

Aos 17 anos e prestes a terminar o Ensino Médio, Pedro participa ativamente de um movimento político que luta pela imprensa livre e independente, liberdade econômica, separação de poderes, eleições livres e idôneas e fim de subsídios diretos e indiretos para ditaduras. "Existe um caráter idealista e renovador que só a juventude é capaz de trazer para o debate público. A juventude, em diversos momentos da história, com a sua indignação, energia e coragem para fazer diferente, foi responsável por grandes avanços sociais e políticos. O processo político sem a juventude fica parado no tempo", justifica.

O professor André Marcos Silva lembra diversos momentos da história nos quais a participação dos jovens foi importante. “Essa participação é discutida desde a Grécia Antiga. Sócrates, inclusive, foi sentenciado em virtude de ter tentado convencer a juventude a essa participação. É fundamental que o jovem participe, que tenha algum tipo de integração. Eles realmente são o futuro de uma sociedade. Pensando historicamente, a juventude dos anos 60, por exemplo, com todo aquele movimento universitário antiguerra do Vietnã, a luta por direitos das mulheres, dos negros, e a própria ditadura militar no Brasil. Aquela famosa geração de 1968 marcou a história do mundo e não foi um movimento sindicalista, operário, comunista ou socialista, foi meramente um movimento espontâneo envolvendo os jovens. Precisamos de uma nova geração como essa, pois, para tentar algumas mudanças, é fundamental que o jovem se interesse e participe”, afirma.

Interferência da pandemia

Ariane conta que, durante a pandemia, os colegas passaram a falar mais sobre política, nas aulas e nas redes sociais. "Percebi que alguns deles começaram a refletir mais em relação ao cenário político do Brasil e do mundo. Algumas vezes, em chamadas de vídeo, quando alguém mencionava algum acontecimento político, grande parte das pessoas presentes nas chamadas já tinha conhecimento do assunto e, em alguns casos, já tinha até opiniões formadas sobre tal. Acredito que os temas e assuntos discutidos e ensinados em sala de aula fizeram com que essas pessoas estivessem mais atentas ao mundo que os cerca", relata.

Segundo ela, a possibilidade de dar voz às pessoas de classes sociais e de comunidades muitas vezes ignoradas e marginalizadas é um dos benefícios da utilização da internet como espaço para o debate de temas cívico-políticos. "A web também viabiliza um espaço de diálogo mais acessível e possível entre políticos e comunidade, permitindo que os cidadãos cobrem seus representantes acerca de suas funções e discutam temas de importância para a sociedade", explica.

 

_______________________________________________________________________

Sobre o Colégio Positivo 

O Colégio Positivo compreende oito unidades na cidade de Curitiba, onde nasceu e desenvolveu o modelo de ensino levado a todo o país e ao exterior. O Colégio Positivo - Júnior, o Colégio Positivo - Jardim Ambiental, o Colégio Positivo -  Ângelo Sampaio, o Colégio Positivo - Hauer, o Colégio Positivo - Internacional, o Colégio Positivo - Água Verde, o Colégio Positivo - Boa Vista e o Colégio Positivo - Batel atendem alunos da Educação Infantil ao Ensino Médio, sempre combinando tecnologia aplicada à Educação, material didático atualizado e professores qualificados, com o compromisso de formar cidadãos conscientes e solidários. Em 2016, o grupo chegou em Santa Catarina - onde hoje fica o Colégio Positivo - Joinville e o Colégio Positivo - Joinville Jr. Em 2017, foi incorporado ao grupo o Colégio Positivo – Santa Maria, em Londrina (PR). Em 2018, o Positivo chegou a Ponta Grossa (PR), onde hoje está o Colégio Positivo - Master. Em 2019, somaram-se ao Grupo duas unidades da escola Passo Certo, em Cascavel (PR), e o Colégio Semeador, em Foz do Iguaçu (PR).

CLIQUE AQUI E VEJA MINA CASA, MINHA VIDA VALPARAISO

Tecnologia do Blogger.