Mostrando postagens com marcador Esportes. Mostrar todas as postagens

 


Dieta é estruturada de acordo com a modalidade e a intensidade do esporte praticado

 

Os olhos de todo o mundo estão voltados para Tóquio. A capital do Japão é a sede dos Jogos Olímpicos, que chega a sua 32ª edição depois de ter sido adiado de 2020 para 2021, em meio a uma pandemia que afeta todo o planeta.

 

Para o sucesso no esporte, não apenas o treinamento físico é importante. A nutrição correta dos esportistas também é um fator de grande relevância para que eles tenham a energia necessária a fim de enfrentar todo o esforço envolvido e evitar a fadiga muscular. A professora do curso de Nutrição da Estácio, Marcella Tamiozzo, explica que não existe uma dieta específica para cada tipo de esportes, mas para a escolha do tipo correto de alimentação, as modalidades podem ser divididas em três categorias:

 

- A primeira categoria é a dos esportes de longa duração ou resistência, como maratona, natação e ciclismo, onde o consumo calórico chega a ser altíssimo, porque o atleta necessita de muita energia para ter um bom desempenho. Neste caso, o consumo de carboidrato e a hidratação adequada antes, durante e após a competição, são fundamentais, detalha.

 

A segunda categoria é dos esportes de peso, como boxe e judô, e dos esportes mais estéticos, como nado sincronizado e ginástica olímpica.

 

- Neste caso, controle de peso é fundamental, sendo muitas vezes necessário uma dieta equilibrada, que deve fornecer os nutrientes que o atleta precisa, porém, o nível de caloria deve ser mais controlado a fim de atingir o peso adequado para a competição, explica.

 

Na terceira categoria, a nutricionista cita os esportes da modalidade de força, como levantamento de peso, em que a dieta visa favorecer o ganho de massa muscular e onde, muitas vezes, é necessária até mesmo a utilização de alguns suplementos.

 

Marcella salienta que a dieta dos atletas nas competições é diferente daquela que eles devem seguir durante o treinamento.

 

- A dieta não é a mesma, porque o treinamento durante o preparo pode ter duração e intensidade diferentes do dia da competição em si. Existem preparos em que o atleta treina 8 horas por dia, e na competição a duração é menor. A dieta deve ser calculada com base nos dois fatores: tempo e intensidade. Quanto maior for a intensidade e o período da competição, maior é a necessidade energética.

 

Já no dia da competição, Marcela Tamiozzo indica que é preciso estar atento ao tipo de alimento consumido, pois existem fatores como a digestibilidade do alimento, que pode acabar influenciando no rendimento do atleta.

 

- O dia da competição não é hora de experimentar refeições novas, e sim ingerir alimentos já conhecidos para que não ocorra problemas digestivos e acabe prejudicando o atleta, frisa.

 

E para quem acha que vida de esportista é fácil, a professora destaca que a educação alimentar deve ser uma filosofia de vida para o atleta, além de ter que fazer um controle do tipo de alimento e quantidade que ingere.

 

- Sabemos que alguns tipos de alimentos fonte de gorduras saturadas, gorduras trans e açúcar, podem desencadear problemas de saúde, como aumento de colesterol, triglicerídeos e glicose, e isso pode prejudicar a saúde do atleta e seu desempenho. Estas mesmas regras na hora de escolher a alimentação valem também para quem não é atleta profissional, mas gosta de praticar esportes e quer manter uma vida equilibrada e saudável, concluiu a professora da Estácio.


Torben Grael durante visita ao Lago Corumbá IV (Foto: Láira Machado)

Bicampeão olímpico comandará projeto da marina guarda-barcos do Escarpas Eco Parque, que promete se tornar a principal atração turística da região


À frente do projeto de operação da marina guarda-barcos do Escarpas Eco Parque, o  bicampeão olímpico Torben Grael visitou o Lago Corumbá IV, em Abadiânia, nesta quinta-feira, 1º de julho. O primeiro contato do velejador com o local rendeu muitos elogios à paisagem. “É um local muito bonito, perfeito para atrair as pessoas apaixonadas por esportes náuticos”, disse o paulista de 60 anos, encantado com a visão proporcionada pelo píer do Escarpas.

É nesta área que Torben pretende desenvolver o primeiro projeto em Goiás de sua empresa, a Intermarinas, que tem atuação em diversas outras cidades brasileiras. O empreendimento faz parte do sonho de expansão dos esportes náuticos para o interior do Brasil, com o objetivo de estimular a prática de modalidades como vela, canoagem e esqui aquático, entre outras. Durante sua visita, Torben deu início aos estudos de viabilidade técnica para a execução do projeto, acompanhado pelo sócio Klaus “Cacau” Peters, também velejador.

A visita de Torben ao lago foi acompanhada com atenção por autoridades locais, incluindo o presidente da Agência Estadual de Turismo (Goiás Turismo), Fabrício Borges Amaral, que representou o governador do Estado, Ronaldo Caiado, e o prefeito de Abadiânia, José Diniz. O anfitrião do encontro, o empreendedor Leandro Daher, sócio-diretor da Tropical Urbanismo, destacou que o Escarpas Eco Parque tem recebido forte apoio da gestão pública, diante do retorno financeiro que o projeto vai trazer ao município e à região do Lago Corumbá IV.

“A Tropical foi pioneira na preocupação socioambiental da construção civil em Goiás, e o Escarpas é um empreendimento completo neste sentido. O projeto vai manter a preservação da natureza exuberante do Lago Corumbá IV e foi pensado para respeitar o meio ambiente em primeiro lugar. Além disso, estamos priorizando o emprego da mão de obra local, para dar este retorno econômico à Abadiânia. São esses aspectos que compõem a responsabilidade e a sustentabilidade, em um projeto que vai trazer muitos benefícios e frutos para o município e toda a região”, disse Leandro.

Torben Grael corroborou com as palavras de Leandro e também ressaltou o impacto econômico e social do Escarpas Eco Parque para Abadiânia e todo o Estado de Goiás, destacando que o Lago Corumbá IV tem muito potencial para atrair visitantes de Brasília, por causa da proximidade. O empreendimento fica a apenas 15 minutos de Abadiânia e a 140 km da capital federal. Além disso, também está muito perto de Goiânia (103 km) e de Anápolis (45 km).

“É um lago com todas as condições necessárias para abrigar uma marina completa e ser palco para a prática de muitos esportes náuticos. Isso vai gerar muitos empregos para a população local, o que acaba trazendo desenvolvimento econômico e fortalecendo a economia da região. O esporte vai se enraizando cada vez mais na cultura local e passará a atrair muitos adeptos e entusiastas para Abadiânia, principalmente por causa da proximidade com Brasília, que já tem uma cena muito desenvolvida de vela e com certeza vai voltar suas atenções para o Lago Corumbá IV”, avaliou Torben.

O presidente da Goiás Turismo, Fabrício Borges Amaral, também se mostrou empolgado com os benefícios que o Escarpas Eco Parque e a marina de Torben Grael podem trazer para a região do Corumbá IV. Segundo Fabrício, a iniciativa privada é uma parceira importante na elaboração e execução de políticas de estímulo ao turismo e à economia local. Como contrapartida, o Estado está empenhado em oferecer a infraestrutura necessária para que os empreendimentos da região possam receber os visitantes com todo o conforto. Entre as principais ações do governo estadual, está o projeto de pavimentar dois trechos do acesso ao Escarpas Eco Parque, de 300 metros e quatro quilômetros.

“A região do Lago Corumbá IV é belíssima e ainda pouco conhecida até mesmo pelos próprios goianos. É um lugar privilegiado, pela proximidade com Goiânia e Brasília. O Estado está de mãos dadas com os empreendedores nesta missão de alavancar o lago. Vamos oferecer infraestrutura, sinalização, qualificação profissional da mão de obra e segurança pública, pois temos muitos investidores interessados em explorar os potenciais econômicos daqui. Já estamos com a previsão de completar o asfaltamento do acesso ao Escarpas, e o envolvimento do Torben vai acelerar ainda mais o processo de desenvolvimento de toda a região”, declarou o presidente da Goiás Turismo. 


Bicampeão olímpico Torben Grael e o velejador Klaus Peters durante reconhecimento no Lago Corumbá IV (Foto: Túlio Moreira)

De malas prontas  


A agenda de Torben Grael em Goiás começou no dia anterior, quando ele participou de um evento do Escarpas Eco Parque no Empório Saccaria, no Jardim Goiás, em Goiânia. O sócio-proprietário do Empório Saccaria, Rogério Giordani, é um dos parceiros do Escarpas e fará a gestão do restaurante panorâmico que figurará entre as principais atrações do complexo de lazer e aventura. No encontro comandado por Leandro Daher, sócio-diretor da Tropical Urbanismo, o velejador assinou o termo de intenção de parceria para a construção da marina guarda-barcos no Lago Corumbá IV e falou um pouco sobre a preparação para os Jogos Olímpicos de Tóquio. Torben embarca para o Japão no sábado, dia 3, onde irá acompanhar os atletas da vela na condição de coordenador técnico da seleção.

O velejador multicampeão é dono de cinco medalhas olímpicas, sendo duas de ouro, e acredita que o Brasil possa conquistar até dois pódios na edição deste ano, mantendo a tradição do país na principal competição internacional do universo desportivo. “Enfrentamos um período de muitos desafios por causa da pandemia. A preparação dos atletas brasileiros foi bastante prejudicada, porque muitos atletas não conseguiram autorização para participar de treinamentos na Europa. Mas acredito que temos uma equipe de muito talento e que podemos manter a nossa sequência de medalhas na modalidade”, frisou o velejador.


Torben Grael se prepara agora para coordenar seleção brasileira de vela em Tóquio (Foto: Túlio Moreira)




Aos 60 anos, Torben Grael quer incentivar prática de esportes náuticos em Goiás (Foto: Divulgação) 

Bicampeão olímpico na modalidade da vela vem a Goiânia nesta quarta-feira, 30 de junho, para formalizar parceria para implantar marina no Lago Corumbá IV

Coordenador técnico da seleção brasileira de vela desde 2013, o bicampeão olímpico Torben Grael se prepara para comandar a equipe na disputa dos Jogos Olímpicos de Tóquio, em julho, no Japão. Dono das medalhas de ouro em Atenas, em 2004, e Atlanta, em 1996, ele possui ainda uma prata (Los Angeles, em 1984) e dois bronzes (Seul, em 1988, e Sydney, em 2000). Antes de embarcar para a capital japonesa, no dia 3 de julho, o velejador de 60 anos faz uma parada em Goiânia nesta semana para dar continuidade ao projeto de disseminar a cultura da vela no interior do Brasil.

Torben escolheu o Lago Corumbá IV, no município de Abadiânia, para a construção da próxima marina da Intermarinas, empresa que ele comanda ao lado dos sócios Klaus “Cacau” Peters e Alejandro Comas, também velejadores. A infraestrutura de navegação fará parte do Escarpas Eco Parque, condomínio de lazer e aventura que está em implantação às margens do lago, e vai oferecer uma gama completa de serviços para embarcações. Segundo o bicampeão olímpico, o Brasil tem potencial de sobra para continuar se destacando nas principais competições, e o desenvolvimento dos esportes náuticos no interior do país pode contribuir para consolidar esse cenário.

“Nós temos presenciado uma expansão muito grande da vela como opção de lazer, e isso consequentemente desperta o interesse nas pessoas pela modalidade. Já temos diversos clubes especializados muito consolidados no Brasil, e agora precisamos expandir a presença da vela para outros centros. As marinas privadas podem contribuir muito com isso, principalmente ao permitir o contato das novas gerações com o esporte. O Brasil ainda tem um caminho enorme pela frente na disputa dos esportes náuticos, com potencial para conquistar cada vez mais títulos e medalhas”, define o bicampeão olímpico.

Na quarta-feira, 30 de junho, às 19 horas, ele assina termo de intenção de parceria com os empreendedores do Escarpas Eco Parque para a implantação da marina em encontro agendado no Saccaria, no Setor Jardim Goiás. Na quinta, 1º de julho, ele faz visita in loco ao Lago de Corumbá IV para dar início aos estudos de viabilidade técnica para a execução do projeto.

Torben Grael com os filhos, os também velejadores Martine Grael e Marco Grael (Foto: Jonne Roriz)

A vela é uma das três modalidades que mais renderam medalhas ao Brasil na competição internacional, com destaque para atletas como Martine Grael, filha de Torben, e Robert Scheidt. Para Torben, a proximidade do Lago Corumbá IV com Brasília tem tudo para atrair o público da capital federal, um dos principais centros da vela no Brasil, e consolidar uma nova geração de adeptos da prática. A infraestrutura a ser construída oferecerá guarda-barcos, preparação de embarcações e manutenção, além de contar com mall e outros serviços ligados à navegação.

“Estou muito entusiasmado com essa sinergia entre a Intermarinas e o Escarpas. Em qualquer espelho d’água que comporte o mínimo de navegação, é aconselhável ter uma marina com instalações que ofereçam a estrutura necessária. Teremos uma infraestrutura completa de serviços, e com certeza despertarão o interesse do pessoal de Brasília e Goiânia e cidades vizinhas. Ela poderá contemplar tanto quem busca diversão e lazer quanto quem tem aspirações para uma carreira nos esportes náuticos”, avalia Torben.

O bicampeão olímpico também ressalta a importância da interiorização na prática da vela e de outros esportes náuticos. Apesar de a prática ainda estar muito associada às cidades litorâneas, em especial o Rio de Janeiro, Torben destaca que muitos centros importantes já se destacam em localidades como a Represa de Guarapiranga, em São Paulo, o Lago Paranoá, em Brasília, e o Circuito do Lago Três Marias, na região central de Minas Gerais. Pelas dimensões grandiosas, com 173 quilômetros quadrados de área alagada, o Lago Corumbá IV também tem muito potencial para se juntar a este cenário.

“A vela é um esporte completamente ligado à natureza, o que se encaixa perfeitamente ao Lago Corumbá IV e à proposta do Escarpas. É muito importante fomentar essa cultura náutica no interior do Brasil. Nosso país tem muitos reservatórios, barragens e lagos artificiais que são totalmente favoráveis à navegação. Muitos deles, inclusive, são maiores do que as baías naturais que temos. Então, nada mais natural do que esportes como a vela e a canoagem se desenvolverem nestes lugares”, frisa o velejador.

O desenvolvimento dos esportes náuticos e a oferta de serviços ligados à navegação também causam impacto positivo nas economias locais, como destaca Torben. “Há uma enorme gama de serviços agregados que são movimentados por uma marina: abastecimento, manutenção de motores, pintura, parte elétrica, limpeza das embarcações. Temos ainda a organização de competições e eventos, a demanda por pilotos particulares, entre diversos outros. Então, há uma oportunidade muito grande para se desenvolver a economia local em torno desse segmento”.

Torben Grael se prepara para comandar a seleção brasileira de vela em Tóquio (Foto: Reprodução / Instagram)



CLIQUE AQUI E VEJA MINA CASA, MINHA VIDA VALPARAISO

Tecnologia do Blogger.